Moradores do bairro Alto do Padeiro são orientados sobre ações preventivas no período de chuvas

Segundo boletim atualizado pela Secretária Estadual de Saúde (SESA), Cedro permanece com nenhum caso registrado das doenças causadas pelo mosquito. A luta contra o vetor de doenças como dengue, zika vírus e chikungunya continua em Cedro.  Atividades de diversos segmentos buscam orientar e sensibilizar os moradores do município no combate ao mosquito. Nesta quinta-feira (19/04), o bairro Alto do Padeiro contou com a presença de integrantes da Secretária de Saúde (SESA), Comitê Municipal de Combate às Arboviroses, Agentes de Combate às Endemias (ACE), Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e brigada municipal. Os profissionais visitaram as residências e conversaram com homens e mulheres sobre quais medidas devem ser adotadas diariamente para se livrar do Aedes aegypti. Evitar o acúmulo de água em latas, embalagens, pneus velhos, sacos plásticos e lixeiras, são maneiras rápidas que possuem grandes resultados, como avalia o prefeito Dr. Nilson Diniz. “É muito comum nesse período chuvoso, acumular água parada, principalmente nos quintais. Por isso estas ações estão sendo reforçadas. É importante lembrar que o bairro Alto do Padeiro já tem visita programada uma vez na semana por meio de equipes da brigada municipal. É uma ação contínua, que conta agora com o uso do aplicativo “Aedes em foco” que tem sido também um grande parceiro no combate ao mosquito”, reforça o gestor que destacou como essencial a parceria entre a Universidade Federal do Ceará (UFC) e Governo do Estado através da plataforma digital. Além das visitas nas residências, a Creche Leopoldo da Costa, localizada no bairro, também foi vistoriada pelos membros. E ninguém deixou de ser informado. Professores, funcionários e alunos foram orientados sobre os riscos de não cuidar de ambientes que sejam propícios a ter os focos do Aedes. Para o secretário de saúde, as blitz educativas só reforçam o trabalho diário da Prefeitura e dos profissionais da área da saúde. "É tempo de união, de juntar as forças. Os agentes demonstraram como é que realiza a eliminação de focos por meio de limpeza de baldes e tambores, mas é preciso que todos estejam juntos num mesmo propósito, que é o de manter nossa cidade com o resultado atual: zero de doenças trazidas pelo transmissor”, assegura Russel Sírios.   No calendário de programação de Cedro, outros bairros do município também irão receber essas visitas. Cedro sem registroO último boletim divulgado pela Secretária Estadual de Saúde (SESA), na última terça-feira (17/4), destaca que o município de Cedro permanece livre de casos de doenças causadas pelo mosquito Aedes aegypti. Uma alegria para todos os cedrenses!
21 de Abril de 2018, 23:27

Gestantes de Cedro recebem repelente para prevenção da picada do mosquito

A Prefeitura de Cedro, por meio da Secretaria de Saúde está distribuindo gratuitamente repelentes para as mulheres grávidas do município. A distribuição que ocorre desde 2013, neste ano, está sendo feita na sede da Unidade Básica de Saúde (UBS) de cada bairro. Mesmo sem nenhum registro de casos da doença, a gestão trabalha com medidas preventivas. Algumas formas desse cuidado redobrado são as diversas ações educativas no município e as orientações que as futuras mamães recebem no pré-natal. “Estamos fazendo mobilização social diariamente na intenção de ajudar as gestantes a terem os cuidados necessários durante toda a gravidez. A entrega de repelentes é somente mais uma maneira de prevenir-se de situações delicadas que têm afetada várias famílias no país”, reforça o prefeito Dr. Nilson Diniz. O secretário de saúde, no entanto alerta para o uso correto do produto durante todo o período de gestação. “Elas são prioridades na administração municipal, e para nós é importante que elas passem o repelente diariamente, mas, apenas na área exposta e não por baixo da roupa. Ele tem uma duração de até 10 horas e a gestante tem que fazer a reposição sempre que perceber que está desprotegida”, explica.  De acordo com o coordenador do Comitê Municipal de Combate às Arboviroses e da brigada municipal, “além do trabalho que realizamos diariamente com os agentes de endemias no combate ao mosquito Aedes aegypti, assim como os mutirões que temos feito em diversos bairros da cidade eliminando focos deles, também realizamos esse trabalho da distribuição dos repelentes. Temos feito nossa parte. Pedimos que a população também faça a dela eliminando qualquer possibilidade de acúmulo de água em locais onde o mosquito possa se proliferar”.Segundo a Coordenadora da Atenção Básica, Simone Firmo, esta ação faz parte do programa de proteção individual de gestantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica contra o Aedes aegypti, cumprimento ao decreto n° 8.716 de 20 de abril de 2016 do Governo Federal. “O uso do repelente, não deve ser a única maneira de evitar a transmissão da doença, é importante que nas residências também possam ser adotadas medidas simples e evitar a proliferação do Aedes aegypti”, ressalta.Para que as gestantes possam receber o produto, elas devem comparecer na UBS com RG, CPF e cartão de acompanhamento do pré-natal ou do SUS em mãos. Sintomas das doenças A dengue e a chikungunya têm sintomas e sinais parecidos. Enquanto a dengue se destaca pelas dores nos corpo, a chikungunya apresenta dores e inchaço nas articulações. Já a zika está associada a uma febre mais baixa (ou ausência de febre), muitas manchas e coceira intensa na pele. A orientação é procurar a unidade de saúde mais próxima ao perceber qualquer um dos sintomas das três doenças.
11 de Abril de 2018, 09:52

Novas ações de combate às arboviroses são planejadas pelo Comitê Municipal

Membros se reuniram na terça-feira (03/04) para organizar cronograma para os próximos meses.Os moradores de Cedro tem bons motivos para estarem alegres. Em 2018, o município não apresentou casos de Dengue, Zika e Chikungunya, de acordo com Boletim Epidemiológico da Secretaria de Saúde do Ceará. O resultado é fruto do eficaz planejamento realizado pelo Comitê de Combate às Arboviroses do município.A reunião de terça-feira (03/04) contou com a presença do Secretário de Saúde, Russel Sírios e dos vereadores Gilberto Barbosa, Silvana Leite e Juceza Teixeira. Também estiveram presentes o Coordenador do Comitê Municipal de Combate às Arboviroses, Marciel Bezerra; Coordenadora da Brigada Municipal, Camila Diniz; Supervisor de Endemias, Ivan Monteiro; Agente Administrativo, Régis Paiva; Coordenadora da Atenção Básica, Simone Firmo; Além dos Agentes de endemias Francisco Jonas e Daniel Braga.A equipe de combate as arboviroses tem trabalhado intensamente e contam com um valioso aliado: o aplicativo “Aedes em foco”. A plataforma criada pela Universidade Federal do Ceará (UFC), vai contemplar também igrejas, sociedade civil e escolas municipais. De acordo com o prefeito, Dr. Nilson Diniz, durante esse período de chuvas quanto mais ajuda melhor. “Todos devem estar juntos num só pensamento de não dar brecha para o mosquito. E nessa época chuvosa as ações devem ser intensificadas. Ficamos felizes de saber que a população se preocupa em trabalhar conosco”.ReuniãoDurante a reunião desta semana, foram apresentadas novas atividades em parceria com as Unidades Básica de Saúde (UBS’s), que irão atuar com a formação de brigada para auxiliar no projeto junto a UFC no município. Ainda em abril o cinema itinerante abordará o assunto e em maio ocorrerá o seminário sobre casos e causas de arboviroses no âmbito municipal e regional.Na avaliação do Secretário de Saúde, Russel Sírios, as reuniões são essenciais para agilizar demandas oriundas das ações e inserir novas estratégias no combate ao Aedes aegypti. “Temos um plano que prevê ações rotineiras nos bairros, bloqueios e eliminação de criadouros e orientação aos moradores que tenham algum sintoma, além do mutirão que deverá acontecer principalmente nos bairros mais críticos”.Outras açõesAs ações de educação, saúde e mobilização social para o controle do mosquito Aedes aegypti, causador dessas endemias serão reforçadas nos próximos dias, com campanha na internet, alertando sobre o período de chuvas e os cuidados para evitar focos do mosquito. Além do planejamento de visitas domiciliares às sextas-feiras.No inicio de março a prefeitura iniciou durante a Gincana Estudantil, o projeto “todos contra Aedes aegypti”. A medida teve o objetivo de instigar os alunos nessa luta e também reforçar os cuidados do governo municipal nessa empreitada e tem gerado bons resultados. Cedro sem casosO último boletim epidemiológico divulgado pela Secretária Estadual de Saúde (Sesa), mostra que Cedro não registrou nenhum caso de sobre Dengue, Zika e Chikungunya neste ano e que mantém alto índice de visitas realizadas e baixo índice de infestação predial.​
05 de Abril de 2018, 19:50

Prefeitura de Cedro lança Gincana Estudantil para reforçar combate ao Aedes aegypti

A Secretaria de Saúde realizou encontro com Agentes de Combate à Endemias (ACE) e Agentes Comunitários de Saúde (ACS) para apresentação do aplicativo “Aedes em foco”, que traz instruções que irão permitir mais agilidade no combate ao mosquito Aedes aegypti por parte da população. Também foi lançada uma Gincana Estudantil no sentido de reforçar os cuidados do governo municipal nessa cruzada.O evento aconteceu no Centro Social Urbano de Cedro (CSU), na tarde de segunda-feira (13/3), e estiveram presentes o prefeito Dr. Nilson Diniz, o vice Joãozinho de Titico, as secretárias de Saúde, Sayonara Moura, e de Educação, Esmeraldina Bezerra, os professores Ivo Castelo e Henrique Pequeno da Universidade Federal do Ceará (UFC) e o coordenador estadual dos Comitês de Enfrentamento às Arboviroses, Caio Cavalcanti.O gestor municipal enfatizou a parceria com a UFC na consecução de um projeto pioneiro e inovador, na medida em que alinha tecnologia e participação da população. “É com alegria que celebramos este momento, demonstração de que teremos um efetivo maior de agentes multiplicadores no combate ao mosquito. A população terá na palma da mão um aplicativo gratuito e moderno”.No início do ano, o boletim da Secretária de Saúde (SESA) já informava que no município de Cedro não havia registro de casos de dengue, zika e chikungunya, fruto do trabalho de profissionais da saúde, Comitê Municipal de Combate às Arboviroses e Brigada Municipal. Com o advento do projeto da UFC, a tendência é um enfrentamento ainda mais efetivo e eficaz ao vetor. “Estamos colhendo resultados positivos, a população tem se sensibilizado. Iremos dar continuidade às ações de visitas, palestras, cinema itinerante e gincanas escolares”, reforça a secretária Sayonara.Sobre a Gincana EscolarCom apoio da Secretaria Municipal de Educação, a competição entre equipes tem o objetivo de reforçar os cuidados da gestão municipal na meta busca de zerar, ou pelo menos minimizar, os casos de dengue, zika e chikungunya. A Gincana Estudantil foi lançada nesta terça-feira (13/3) e contou com a presença de alunos da rede municipal de ensino e gestão escolar. A parceria é do Programa Saúde na Escola (PSE – Educação e Saúde), cuja programação anual tem diversas apresentações e trabalhos desenvolvidos em sala de aula.A secretária Esmeraldina informa que os estudantes anualmente participam de atividades extra-sala, de acordo com o que aprendem na sala de aula. A iniciativa serve de  estimulo à participação deles em medidas que possam levar benefícios às suas famílias. “Para que alcancemos melhores resultados, temos agora o aplicativo – ferramenta importante em nossas ações por mais saúde”.O município de Cedro é referência no combate ao mosquito Aedes Aegypti. As formas de transmissão das doenças dele decorrentes e as maneiras de combate são todas minuciosamente estudas e discutidas, com vistas ao efetivo combate. “Nessa perspectiva, decisiva é a comunicação entre a população, o governo e os profissionais de saúde envolvidos. Só assim a gente melhora o trabalho diário, de forma gratuita, exercendo-se a cidadania. É assim que iremos controlar o mosquito”, reforça o professor Ivo Castelo.O professor Henrique Pequeno ressalta a parceria UFC/Prefeitura de Cedro. Afirma que sua equipe está satisfeita, engajada na proposta. E reitera o uso do aplicativo “Aedes em foco” como facilitador no desenvolvimento do projeto. Diz mais: “Nosso grande desafio é a participação da população. Semanalmente serão realizadas medidas para evitar que uma geração adoeça e casos alarmantes sejam registrados”, ressalta.O projeto da UFC em Cedro tem sido destaque regional, principalmente por contar com o apoio total da gestão municipal. Para o coordenador do Comitê Estadual de Combate às Arboviroses, a decisão política de unir forças e envolver o maior número de parceiros na luta tem feito toda a diferença, por isso os bons resultados alcançados pelo prefeito Dr. Nilson Diniz. “Enfrentar um desafio desses com o auxílio da tecnologia e o envolvimento dos cidadãos é fazer diferente. Com a participação das escolas, agora, melhores resultados virão”, ressalta Caio Cavalcanti.As próximas etapas do “Aedes em foco” contarão com palestras, voos com drones, capacitações, visitas e a efetiva divulgação das ações desenvolvidas nas diversas plataformas.
15 de Março de 2018, 13:41

Alunos recebem orientação no combate ao mosquito Aedes aegypti

Prevenir é a principal fonte para garantir que Cedro seja uma cidade livre dos focos do mosquito. Conscientizar alunos sobre essa missão tem sido um dos projetos que a atual gestão tem desenvolvido com êxito. Na última semana, especificamente entre os dia 5 e 9, ações de combate ao agente transmissor de doenças como dengue, chikungunya e zika vírus, aconteceram nas escolas municipais. Quem levou as orientações foram os membros do Comitê Municipal de Enfrentamento às Arboviroses. A atividade contou com o apoio de técnicos da Secretaria de Saúde e da brigada municipal, além de fundamental parceria entre a Secretaria Municipal de Saúde e Programa Saúde na Escola (PSE).Para impulsionar a aceitação dos estudantes nessa luta, foram distribuídos materiais educativos informando sobre como eles podem contribuir em casa. Dr. Nilson Diniz acredita que os alunos são os principais agentes multiplicadores dessa atividade que já tem bons resultados. “Durante todo o ano vamos realizar esse tipo de trabalho. A compreensão e o apoio dessa garotada têm tido efeito importante nessa luta. Resultado disso foi o boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (SESA) no inicio do ano, onde marca que Cedro não possui nenhum caso das endemias”, justifica o prefeito. A parceria com Universidade Federal do Ceará (UFC) é a ampliação desse combate.  Por meio do aplicativo desenvolvido na instituição, muitas brigadas serão criadas em vários locais da cidade para mapeamento dos focos do vetor. Inclusive na próxima semana haverá encontros com equipes da UFC e técnicos da SESA na Cidade para início da gincana municipal e palestras com mais estudantes e profissionais da área da saúde sobre a importância do aplicativo. A população também participará da apresentação do balanço feito dos casos em 2017.De acordo com a secretária de saúde, os trabalhos diários dos profissionais dos Agentes de Combate à Endemias (ACE), Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e membros do comitê e brigada municipal, estão sendo destaques na região. “Cada um tem elaborado sua função da melhor forma possível em prol da população cedrense. Estamos vigilantes para evitar a proliferação das doenças causadas pelo Aedes. Com a chegada das chuvas estamos ainda mais atentos contra esse mal”, revela Sayonara. Sobre o aplicativoO aplicativo ‘Aedes em foco’ já está disponível nas plataformas Google Play e App Store. O download é fácil, rápido e gratuito. Esse projeto torna Cedro como o primeiro município do Estado a ter o desenvolvimento desta ação inovadora. 
10 de Março de 2018, 10:28

Combate ao mosquito Aedes aegypti é reforçado no bairro Planalto dos Cadeiras em Cedro

No bairro Planalto dos Cadeiras, por exemplo, membros do Comitê municipal de enfrentamento às Arboviroses, brigada e profissionais de endemias visitaram residências na manhã desta quinta-feira (01/3). Entregando panfletos com orientações sobre os cuidados, eles alertaram os moradores a sempre guardarem baldes, garrafas com a boca para baixo e não deixarem água parada dentro de pneus.Após divulgação do boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SESA), na última semana de fevereiro, o prefeito Dr. Nilson Diniz comemorou o fato de o município não ter registro das doenças. “O resultado é bastante animador, reflete a nossa grande mobilização e o empenho em manter a cidade limpa e saudável. De parabéns também estão os moradores que abraçaram a nossa causa e estão nos ajudando. Na verdade, eles estão se ajudando”, destacou.Além disso, eles receberão orientações por parte de equipes da Universidade Federal do Ceará (UFC), que irão divulgar o aplicativo “Aedes em foco”, plataforma desenvolvida pela instituição. Cedro é o primeiro município do Estado a desenvolver o projeto.
03 de Março de 2018, 00:21

Prefeitura de Cedro e UFC lançam aplicativo para combate ao Aedes Aegypti

Colocar o combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chigungunya na palma da mão, para isto, o aplicativo “Aedes em foco” foi lançado na segunda-feira (29) no Auditório Ivens Dias Branco, no Senac. O programa é fruto de uma parceria da Prefeitura de Cedro e a Universidade Federal do Ceará.O lançamento contou com a presença do Prefeito de Cedro, Dr. Nilson Diniz; Vice-prefeito, Joãozinho de Titico; Secretária de Saúde, Sayonara Moura; professores da Universidade Federal do Ceará (UFC), Henrique Pequeno, Miguel Franco e Ivo Castelo (também infectologista), além do coordenador estadual de controle das arboviroses, Caio Cavalcanti.Leia mais em: http://cedro.ce.gov.br/informa.php?id=427
06 de Fevereiro de 2018, 15:00

Fortaleza tem 71 bairros em situação crítica de chikungunya

Os casos de febre chikungunya no Estado em 2017 chamam atenção pela alta incidência, especialmente na capital cearense. A cidade passou das 21 mil ocorrências confirmadas da doença no mês de abril para 47.929 até 18 de agosto último, além de outras 6.353 que estão sendo investigadas, segundo informações do último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A estratégia de combate para o segundo semestre, segundo a pasta, envolve uma operação em mais de vinte bairros considerados críticos.Os adultos continuam sendo as maiores vítimas. Segundo o boletim semanal, 68% dos casos atingiram pessoas entre 20 e 59 anos de idade, 5% crianças de zero a nove anos, 11,5% os adolescentes de 10 a 19 anos e 15,5% a população acima dos 60 anos. É entre os idosos, no entanto, que se encontram as maiores vítimas fatais. Dos 119 óbitos suspeitos pela arbovirose, 83,2% (99) foi registrado em pessoas acima dos 60 anos. Entre as mortes já confirmadas este ano em Fortaleza, 56 no total, 43 foram de pessoas acima dos 70 anos. A atuação do poder público neste 2º semestre, no que diz respeito o combate ao vetor da doença, o mosquito Aedes aegypti, se baseia na distribuição territorial dos casos. Chama atenção a disparidade das ocorrências entre os bairros da Capital. O levantamento da SMS aponta o maior número de casos confirmados na Secretaria Regional V, 11.830 no total, o que corresponde a 24,75% das ocorrências de toda a cidade. O Bom Jardim reuniu a maior incidência, com 2.825 pessoas doentes esse ano. No total, 71 bairros registraram incidência acima dos 1.200 casos por cada grupo de 100 mil habitantes, considerado o nível mais preocupante. Conforme ressalta o gerente da Célula de Vigilância Ambiental e Riscos Biológicos da SMS, Atualpa Soares, as ações diferem de acordo com o período do ano. Neste segundo semestre é possível trabalhar de forma mais articulada em localidades específicas, como diz ele, ao contrário dos primeiros meses do ano, quando as ações são mais emergenciais em virtude da quadra chuvosa e da grande proliferação de mosquitos. Até dezembro deste ano, afirma Soares, serão realizados mutirões preventivos em locais mapeados pela Prefeitura de Fortaleza. Identificar "Vamos identificar quais foram aqueles bairros e locais com maior número de casos e nesses os trabalhos serão mais focados, tentando identificar possíveis criadouros, pontos estratégicos, como casas abandonadas, terrenos baldios, que possam ter servido de berçário para o mosquito. Nosso plano estratégico para rodar esses locais conta com a operação quintal limpo e com serviços de limpeza urbana, drenagem de canais que na próxima quadra chuvosa não tenha um maior número de casos". Ainda segundo o gerente da Célula de Vigilância, está em conclusão a parte organizacional da operação para início em setembro, com a lista de mais de vinte bairros sendo definida até o fim da semana. Os prioritários, detalha, serão o Bom Jardim e o Edson Queiroz, com muitos casos de chikungunya e o Jangurussu, com elevada incidência de dengue. "Uma área ou outra pode estar descoberta então nesse momento é possível leva uma quantidade maior de agentes, tirando eles de um território específico por um tempo ficando nesse outro de forma mais efetiva".A incidência maior de casos em determinados bairros, segundo explica, pode estar relacionado a locais com grandes adensamentos populacionais, com Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) baixos e onde muitas vezes o cenário social interfere diretamente nos índices de educação e na violência urbana. Fonte: Diário do Nordeste
23 de Agosto de 2017, 19:01

Além das dores intensas, chikungunya também causa queda de cabelo

O fenômeno vem sendo sentindo cada vez mais, sobretudo por pessoas de cabelos longos. Mesmo meses após contrair a chikungunya, o ato de pentear é acompanhado do desprendimento de tufos de cabelo.Isso ocorre porque o corpo, para combater a doença, concentra energia e nutrientes que alimentavam os cabelos, explica a médica dermatologista Araci Pontes.Aconteceu com a jornalista Roberta Tavares, que teve a doença há quatro meses. Foi só após o desaparecimento das dores da chikungunya que ela percebeu a queda de cabelo.Só relacionou os dois problemas ao conversar com outras pessoas que também tinha a doença e estavam apresentando o sintoma. É como a jornalista Lyvia Rocha, que só passou a notar o efeito cerca de três meses depois de começarem os sintomas da doença.Araci Pontes orienta a quem notar o sintoma procurar um médico, que receitará vitaminas específicas de nutrição capilar. “Todo esse cabelo que cai, volta a crescer”, diz. “E, aí, o tempo ajuda bastante”.Saiba mais sobre o tema na matéria da NordesTV/Band: Além das dores intensas, chikungunya também causa queda de cabeloFonte: Tribuna do Ceará
18 de Agosto de 2017, 22:06